sábado, 8 de janeiro de 2011

CÉLULAS EMPREENDEDORAS

Células Empreendedoras
onde você aprende a empreender sua vida profissionaL
www.celulasempreendedoras.com.br
Descrição:
O objetivo geral deste projeto é disseminar a cultura empreendedora nos jovens através de ações educacionais de formação e desenvolvimento de uma rede de Células Empreendedoras em Pernambuco.
Células Empreendedoras são grupos de alunos de graduação que através de blogs e o apoio de tutores, são encorajados(as) a terem mais autonomia e um espírito empreendedor com o apoio de empresas. Elas têm como objetivo fazer com que os demais jovens aprendam a empreender suas vidas profissionais, e através disto desenvolverem a instituição de ensino onde convivem.
Os líderes das células têm como missão motivar os alunos a realizarem ações proativas em torno de um tema. Tais ações correspondem à organização de encontros regulares para troca de conhecimentos, cursos de capacitação, eventos, consultorias/projetos, criação de empresas, pesquisa/inovação, projetos interdisciplinares, entre outras atividades possíveis.
Por princípio as células trabalham a liderança associativa e não possuem CNPJ, buscando empresas parceiras para servirem de canal operacional (sobretudo às empresas juniores). Através do uso de blogs e redes sociais (que integram professores e empresários em torno de uma ênfase profissional), as células empreendedoras tornam-se uma alternativo prática para uma melhor integração universidade-empresa. Para promover networking e uma formação empreendedora continuada, congressos de empreendedorismo, cursos e encontros gerais são organizados regularmente.
Espera-se que com a participação no projeto os jovens obtenham competências para auto-aprendizagem, adquiram autonomia, exerçam liderança, e amadureçam com os conflitos interpessoais que aparecem pelo caminho. As células são também incentivadas a trabalhar questões sociais e ambientais de forma transversal. Observa-se que tais habilidades não são ensinadas no modelo educacional vigente, e com este projeto elas podem ser trabalhadas diariamente durante toda a graduação, com acompanhamento de professores.

Motivação:
Diversas habilidades e competências hoje exigidas para o Professional ter uma carreira de sucesso não são ensinados nas faculdades devido às mesmas na maioria das vezes adotarem um ensino onde "tudo é dado de bandeja" ao aluno. Um modelo onde não se formam jovens autônomos, e que ratifica a formação de "empregados" (escravos das idéias dos outros). Além disto, existe muitas vezes uma latente falta de integração entre faculdades e empresas, resultando em muitos alunos desconhecendo o mercado de trabalho no qual se inserem.
O psicólogobielo-russo Lev Vygostky desde a década de 30 já alertava os educadores para a importância do social e das motivações próprias no ensino-aprendizagem. Sua teoria dizia que uma pessoa aprende ou se desenvolve quando busca por “motivações próprias” melhorar seu contexto social através da criação e registro de novas práticas elou ferramentas. A teoria sócio-cultural de Vygostky fundamenta as condições de desenvolvimento para que os alunos se tornem cidadãos que pensem e atuem por si mesmos.
Este projeto surgiu em 2008 no curso de Sistemas de Informação da FIR/Estácio. Na ocasião, o professor Genésio Gomes (fundador do mesmo), como coordenador de curso recém empossado ao cargo, presenciava alunos exigindo um maior dinamismo e integração com mercado de trabalho. Com o desejo de trabalhar práticas sócio-culturais de aprendizagem que aprendeu durante o doutoramento em tecnologias educacionais, o professor incentivou a criação de células acadêmicas a partir da sugestão dos alunos.
A recomendação, no entanto, era para os líderes terem um espírito empreendedor com apoio de empresas. Poderiam existir células em várias áreas de atuação, e as mesmas usariam blogs como ferramenta de marketing. Além disto, os alunos deveriam se engajar nas células que de fato gostassem ou se identificassem, e não precisavam cumprir padrões predeterminados, apenas mostrar resultados.
O sucesso dos alunos foi imediato e conseqüentemente outros cursos da FIR/Estácio, bem como outras faculdades de Pernambuco, vieram a criar células acadêmicas com este perfil “empreendedor”. Em 2010, o projeto tornou-se então multi-institucional e passou a se chamar de Células Empreendedoras com várias inovações incorporadas.
Resultados:
Hoje existem cerca de 20 células espalhadas por quatro instituições de ensino. Outras três instituições estarão iniciando o projeto no 1o semestre de 2011. Temos cerca de 40 jovens ativos. Juntos só no 2o semestre de 2010 foram mais de 5.000 pessoas beneficiadas por ações geradas por líderes de células, incluindo apenas neste contexto palestras, eventos e cursos oferecidos.

O 1o congresso Pernambucano de Empreendedorismo (www.cpeje.com.br), por exemplo, foi um evento com mais de 1.000 inscritos presentes no Centro de Convenções de Pernambuco. Todo o evento foi idealizado e organizado por um líder de célula empreendedora, chamado Marcos Rodrigues. Este congresso ocorrerá anualmente e será organizador sempre em conjunto com a rede de células empreendedoras das várias instituições.

Além de Marcos, líder da célula Manual do Herói, segue outros exemplos de sucesso de líderes do projeto que iniciaram as cinco primeiras células em 2008 [muitos deles ainda não estão formados]:

- Líder Marcelo Eden (OsSchools): hoje lidera equipes internacionais de desenvolvimento Open Source fazendo extensões premiadas no Joomla Day Brasil 2010 (http://www.3den.org).
- Ex-LíderYgorMacaúbas (ScrumFIR): lidera o uso de SCRUM na Globo.com.
- Líder Vinicius Perrot (InfraFIR): hoje palestrante Microsoft. Reconhecido por liderar a melhor célula acadêmica em Infra-Estrutura Microsoft do Brasil.
- Ex-Líder Roberto Alves (Testes): diretor regional recife da Associação Latino Americana de Testes. Fundador da empresa Intellectus Consultoria (www.intellectu.net.br).
- Líder Agenor Mota (Fir.Net): Reconhecido por liderar umas das células Microsoft mais ativas do Brasil. Fundador da empresa Ificomm (http://ificomm.com).

O projeto ganhou ainda o Prêmio Amadeus Partner Gold 2009 do CIN/UFPE pelas extensões realizadas no projeto Amadeus (www.amadeus.cin.ufpe.br). Amadeus é hoje a principal ferramenta open source de tecnologia educacional do Brasil, estando catalogada no portal do software público do governo federal (www.softwarepublico.gov.br).

Faculdades parceiras atuais: Universidade Federal de Pernambuco – CIN (www.cin.ufpe.br), Faculdade dos Guararapes (www.faculdadeguararapes.edu.br), Faculdade Integrada do Recife (www.fir.br), Universidade de Pernambuco – POLI (www.poli.ecomp.br) , Faculdade Joaquim Nabuco (www.joaquimnabuco.edu.br) e Universidade Federal Rural de Garanhuns (www.uag.ufrpe.br).

Instituições e empresas parceiras atuais: The Drucker Society of Brazil – Recife (http://druckersocietyrecife.com.br), Instituto Guia de Ação (www.guiadeacao.com.br), Grupo de Pesquisa CCTE (www.cin.ufpe.br/~ccte) e Intellectus Consultoria (www.intellectu.net.br).

O projeto possui ainda uma rede multi-institucional de professores com cerca de 30 parceiros voluntários, dentre eles o professor Emanuel Leite (autor de dois livros clássicos sobre empreendedorismo), o professor Alex Sandro Gomes (idealizador do projeto Amadeus e responsável por ações de empreendedorismo do CIN/UFPE) e Raniere Rodrigues (fundador da Drucker Society Recife).

Inovações:
Constata-se que as faculdades/universidades não abordam o problema da educação empreendedora de jovens de forma direta, tal como abordamos neste projeto. Modelos educacionais trabalhados nas instituições de ensino focam-se muitas vezes apenas na operacionalização de planos de negócios, e pouco atual nas questões comportamentais.
As empresas juniores, por outro lado, não possuem a flexibilidade para mobilizar muitos jovens para seus sonhos de vida Professional. Células Empreendedoras são uma forma de inclusive impulsionar as empresas juniores com dezenas de unidades de inovação (células) geradoras de idéias espalhadas por toda a instituição. O fato das células não necessitarem de espaço físico fixo para funcionarem, tornam factível a ploriferação de grupos de alunos empreendedores em todas as áreas de atuação.
O projeto possui quatro aspectos inovadores. São eles:
(1) Introduz uma inovação sobre os modelos de educação empreendedora vigentes por aliar uma formação continuada sobre aspectos atuais do empreendedorismo (era digital), com uma oportunidade para colocá-las em prática durante toda a graduação.
(2) Oferece uma evolução do conceito de células acadêmicas, e/ou grupos de estudos convencionais. Aqui os grupos de estudos são empreendedores, não seguem regras pré-determinadas, procuram várias empresas como canal operacional, trabalham juntos para realizar projetos, e possuem uma rede de colaboradores de apoio.
(3) Provê uma alternativa para uma melhor integração universidade-empresa através do uso de práticas sócio-culturais de aprendizagem.
(4) Cria uma rede social empreendedora de jovens líderes associativos. Rede social inexistente nos dias atuais.
Objetivos 2011:
Os objetivos do projeto para 2011 são:

1) Fornecer um portal de empreendedorismo com uma rede social de células empreendedoras. Portal este que estimulará a disseminação da cultura empreendedora, e propiciará a colaboração (via celulares e outras tecnologias) entre membros da comunidade de células (líderes, professores, alunos e gestores de ensino).

2) Conceber um curso official para capacitação de líderes de células empreendedoras e formar todos os líderes atuantes.

3) Promover encontros gerais de células nas várias instituições semestralmente. Eventos com palestras e apresentações dos cases de células para toda a comunidade.

4) Promover campanhas de marketing com palestras e materiais de divulgação que possibilitem a expansão do projeto para instituições de ensino em todo estado.

5) Entrega de um prêmio jovem empreendedor de células empreendedoras. Prêmio voltado para reconhecimento dos líderes de células mais atuantes, em termos de ações e idéias. Entregue ao final de 2011.

6) Co-organização do 2o Congresso Pernambucano de Empreendedorismo (www.cpje.com.br). Evento idealizado e coordenador pelo líder de uma célula de empreendedorismo e empregabilidade.

6) Criação de uma ONG ou instituto para comportar como pessoa jurídica o projeto multi-institucional células empreendedoras.

Tais objetivos visam criar uma infra-estrutura institucional que sirva para toda a comunidade de células nas várias faculdades.

Coordenação Geral:
Professor Genésio Gomes – Fundador do Projeto.
E-mail: professorgenesio@gmail.com
Todosos direitos reservados e registrados.

Sem comentários:

Enviar um comentário