quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

As melhores ideias são verdes

A busca de produtos e serviços sustentáveis está se tornando um poderoso gatilho de inovação corporativa, avisa especialista 

Por Pedro Pereira 
A sustentabilidade é a nova fronteira da inovação. Cada vez mais, as empresas encontrarão oportunidades no desenvolvimento de produtos e serviços que geram não só resultados financeiros, mas também benefícios sociais e ambientais. Essa foi a mensagem deixada pelo indo-americano Hitendra Patel, diretor do Center of Innovation, Excellence and Leadership (IXL Center), da Universidade de Cambridge, durante o evento de premiação das empresas que se destacaram no ranking “Campeãs de Inovação”, realizado na noite desta terça-feira, em Porto Alegre.

patelgreenovate350Durante a palestra “Greenovate”, Patel destacou que muitas companhias ao redor do mundo estão buscando oportunidades de inovação no atendimento de demandas relacionadas à sustentabilidade. Mas fez um alerta: “Vemos muitas empresas tentando parecer verdes, lançando campanhas onde dizem que estão reciclando, quando na verdade estão praticando greenwashing”, disse ele, referindo-se às empresas que lançam campanhas de marketing com grande alarde em torno de pequenos avanços ambientais. “Algumas delas querem diminuir seu lixo, mas não desenvolvem produtos perecíveis ou que possam ser reciclados. Há produtos que duram três ou seis meses”, apontou o pesquisador.

Segundo ele, as empresas estão se tornando globais em países como China e Índia. “No Brasil também. Mas, para se tornar global de fato, o Brasil terá de competir com empresas globais. É necessário jogar a Copa do Mundo, e não mais futebol em nível regional”, comparou. Patel também salientou que as ideias de nada adiantam se não derem o retorno que as empresas esperam. “Se você não gerar lucros, a empresa não vai aceitar sua ideia porque não estará ganhando dinheiro. Se o dinheiro não aparecer, o programa é cortado”, completou.

Patel fez questionamentos sobre hábitos comuns em qualquer país do mundo, como andar de carro e climatizar prédios. “Há lugares em que até sete pessoas utilizam o mesmo telefone celular. Em outros, várias casas usam a mesma tubulação”, relatou.

campeas350Patel afirma, ainda, que alcançar a inovação sustentável é um objetivo viável. Para demonstrar isso, cita o McDonald’s, que nos anos 90 aboliu o uso de isopor em suas embalagens, e o Carrefour, que determinou uma redução de 20% em todas as embalagens de seus produtos. A empresa de fast-food não comprometeu suas vendas e ainda pressionou concorrentes a tomarem medidas semelhantes. Já a rede de supermercados reduziu custos de transporte e otimizou o uso de suas prateleiras.


Após a palestra, as empresas mais inovadoras do sul do país foram agraciadas com o prêmio “Campeãs da Inovação”, desenvolvido pela Revista AMANHÃ em parceria com a consultoria Edusys.

Entre as 50 premiadas, dez se destacaram e ocuparam as primeiras posições no ranking:
1ª – Embraco (SC)
2ª – O Boticário (PR)
3ª – Intecnial (RS)
4ª – Semeato (RS)
5ª – Lactec (PR)
6ª – ALL (PR)
7ª – Altero (RS)
8ª – Grendene (RS)
9ª – Grupo Randon (RS)
10ª – Springer Carrier (RS)


Fonte: Revista Amanhã

Sem comentários:

Enviar um comentário