quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

A tentar é que se acerta





O caminho mais rápido entre dois pontos poderá não ser uma recta. Uma pessoa pode saber perfeitamente qual o objectivo a alcançar. Traça até uma estratégia a partir dos elementos humanos e dos recursos materiais que dispõe. Estabelece metas mensuráveis que o vão guiando até atingir o que se propôs. Dedica energia, empenha-se e entusiasma-se com essa actividade. Mas de repente, surgem imponderáveis, um ataque vindo de onde não se espera, uma falta de correspondência, alguma falha operacional ou uma má decisão de alguém que já dera antes provas de competência. Tudo se desmorona. 


Para atingir um objectivo é necessária persistência. Os problemas possuem vários aspectos e facetas. Aprender com os erros é uma grande escola e permitem aproveitar ou criar outras oportunidades. Com uma tentativa falhada ganha-se experiência e pode-se potenciar um projecto para além da dimensão prevista. Obriga também a avaliar novamente todo o processo e os objectivos seleccionados, a conhecer melhor as pessoas, a aumentar os contactos e ainda a corrigir erros. Ir tentando, insistindo e melhorando, não é um fracasso, é um amadurecimento. 



Sem comentários:

Enviar um comentário