segunda-feira, 18 de abril de 2011

ENSINO DE EMPREENDEDORISMO: ALÉM DO PLANO DE NEGÓCIO – A TRANSCENDÊNCIA DE UM SONHO EM UMA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO

Quando analisamos as regras que hoje ditam o mercado econômico, percebemos profundas mudanças estruturais, conceituais e formais. O sistema de troca de produtos está cada dia mais inteligente, mais apurado, melhor desenhado e agregando valores e práticas diversas e porque não, universais.
Vender hoje requer um nível de especialização e informação sobre o produto, o serviço e o cliente que nossos ancestrais jamais imaginaram. Conceitos nunca antes pensados pelos primeiros empreendedores e empresários fazem parte hoje do dia a dia da maioria das pessoas, em todo o mundo.
Os empreendedores precisam pautar as suas atividades por parâmetros estratégicos, tais como:
a)marketing agressivo;
b)inovação e criatividade na comercialização dos seus produtos/serviço;
c)intensificação dos contatos personalizados para promoção dos produtos/serviços;
d)oferta de produtos/serviços de qualidade, diferenciados e com boa relação qualidade/preço;
e)diversificação de produtos/serviços;
f)reforço do equilíbrio financeiro;
g)introdução das novas tecnologias, com recurso adequado à Internet, através do desenvolvimento de websites apropriados e da inclusão das homepages em motores de busca.
Palavras como logística, satisfação do cliente, inovação e criatividade sequer faziam parte do dicionário dos antigos mercadores. E essas mudanças provocaram o nascimento e/ou acomodação de padrões, posturas e possibilidades.
Possibilidade. É este o enfoque que vamos tratar, a partir de agora. Novos mercados, formas de gerência e a presença cada vez mais forte e firme de um novo elemento na economia global, o empreendedor, a empreendedora.
Esta nova condição de empreendedor (a) promove mudanças na forma de gerenciar e promover os negócios, mudando com isso o mercado e, por conseguinte, a economia onde ele (a) está inserido (a).
O importante agora é perceber que vivemos em uma nação onde há muito mais que futebol. Aliás, esse tema está sendo objeto de iniciativas, idéias e ações empreendedoras.
Pensar sobre do fenômeno o empreendedorismo requer um entendimento e uma análise da sua força motriz.
Dessa forma destacamos dois elementos que são pilares na construção dessa nova modalidade de trabalho: a inovação, a partir do desenvolvimento tecnológico, e o processo de globalização, promovendo o fim do emprego. É aplicação dos preceitos do Plano Tecnológico.
Passamos da era onde se investia essencialmente nos produtos e no objeto da venda, para a valorização do humano. É o momento de se investir no capital humano.
A ótica muda de foco e os desejos e necessidades do cliente passaram a ser reconhecidos e analisados à exaustão. O lado subjetivo, passa a ser o foco, pode-se dizer que os profissionais descobriram a importância de ver a organização de forma holística.
Trabalha-se agora o conhecimento e não apenas o produto final, o objeto. É preciso sempre destacar que o propósito de qualquer negócio é criar, manter e fidelizar clientes, por isso é necessário ter em mente que a empresa tem que satisfazer os desejos e necessidades dos seus clientes (Levitt, 1990).
Percebe-se claramente que os empreendedores devem ter uma verdadeira obsessão por ouvir e entender os desejos e necessidades dos clientes, reagir rapidamente visando a atender às exigências dos clientes, ter uma estratégia de atendimento bem definida e inspirada no cliente. Podemos afirmar que os 5 P’s do empreendedorismo são
1)Paixão
2)Paciência
3)Perseverança
4)Prudência
5)Prática
A expressão que a perspectiva do primeiro emprego? Não primeira empresa! Tem no conjunto da economia obriga a uma atuação institucional dirigida à melhoria do seu potencial de desenvolvimento, assente sobretudo no reforço da formação e na tomada de medidas susceptíveis de cobrirem áreas importantes, como por exemplo as seguintes:
a)simplificação e melhoria do quadro administrativo e regulamentar das empresas;
b)apoio à internacionalização;
c)reforço da competitividade das empresas, melhorando o seu acesso à investigação, à inovação e à formação;
d)apoio seletivo aos projetos de investimento na inovação; e
e)aposta nas novas tecnologias por forma a promover a aproximação dos diversos parceiros.
Empreender é um conceito com múltiplas opções de interpretações, dependendo do contexto em que se utiliza. a conotação que se dá, por exemplo, para o âmbito empresarial o empreendedor é muitas vezes confundido com empresário, é às vezes tratado com um sinônimo de proprietário de uma empresa comercial com fins de lucro, podemos descrevê-lo como alguém que se aventura em uma nova atividade de negócios.
Para mundo acadêmico em constantes mudanças, empreender denota mais um perfil, um conjunto de características que lhe fazem atuar de uma maneira determinada e que lhe permitem mostrar certas “capacidades” para visualizar, definir e alcançar objetivos.
O termo é utilizado para descrever a qualquer membro da economia cujas atividades são, de alguma forma, criar, inovar, fugir ao rotineiro, fazer coisas melhores, diferentes, melhorar o existente.
Outro exemplo desta forma de visualizar o empreendedor são pessoas que “fazem pequenos negócios bem-sucedidos, que desenvolvem novas idéias ou novas formas de enfocar o mercado”.
Alguns autores enfatizam a capacidade do empreendedor para utilizar adequadamente os recursos disponíveis que define como aquele que se especializa em assumir a responsabilidade de tomar decisões que tem a ver com a localização e uso de bens, recursos e instruções, é decidir, como um “ágil catador e utilizador de informação, recursos”, capacidade para detectar oportunidades de negócios e aproveitá-las.
Podemos classificar empreendedor como uma pessoa que, além de otimizar os recursos disponíveis e utilizá-los em combinações que maximizam os resultados factíveis das combinações, “agrega valor” a todo processo ou atividade em que intervem.
Destacamo que o empreendedor é uma pessoa capaz de concentrar sua mente em certos aspectos do meio que o rodeia e ignorar outros, o que lhes permite aplicar seu tempo e esforço na busca e materialização de oportunidades; assim mesmo, o empreendedor é um alquimista peculiar que toma um sonho particular próprio e o transforma em algo esplêndido e real, pelo que tem “dinamismo criativo”.
O empreendedor como uma pessoa capaz de detectar oportunidades e com as habilidades necessárias para desenvolver, a partir delas, um novo conceito de negocio.
Assim, pois, existem diversas formas de definir e entender o termo empreendedor, sem dúvidas no que coincidem diversos autores é em que o termo empreendedor se deriva da palavra entrepreneur, que à sua vez se origina do verbo francês: “Entreprendre”
Schumpeter afirma que a inovação se desenvolve a partir da capacidade para empreender, portanto, os empreendedores não são necessariamente capitalistas, administradores ou inventores, já que finalmente se trata de pessoas com uma capacidade para “combinar” os fatores de produção existentes e obter melhores resultados, de forma de utilizá-los, fazer e de inovar.
O empreendedor é uma pessoa com características bem particulares, entre elas:
a) total compromisso, determinação e perseverança;
b) capacidade para alcançar metas;
c) orientação às metas e oportunidades;
d) iniciativa e responsabilidade;
e) persistência na solução de problemas;
f) realismo;
g) autoconfiança;
h) altos níveis de energia;
i) ávido por feedback;
j) controle interno alto;
k) tomador de riscos calculados;
l) baixa necessidade de status e poder;
m) íntegro e confiável;
n) tolerante a mudança.

Sem comentários:

Enviar um comentário